INFORMAÇÕES ARCC PORTUGAL

ACTIVITIES IN 2016

 

April 2016

SEISMIC RISK AWARENESS INITIATIVE IN PORTUGAL

Round table discussion (exact date and participants to be announced in October 2015)

Organizer: ARCC Portugal

 

ACTIVITIES IN 2015

 

SEISMIC RISKS AWARENESS CAMPAIGN 

 

537925621The Azores, one of the places of the URBSIS project in 2015

Click here to read the update of the URBSIS project in 2015

Click here to read the full document of the project on seismic risks 2014 

Em Agosto de 2010 foi publicado uma Resolução da Assembleia da República para a adoção de medidas para a redução de risco sísmico, resolução essa que visa a promoção da investigação científica neste domínio e o incentivo à criação de um plano nacional de redução da vulnerabilidade sísmica. De entre inúmeras recomendações feitas, refira-se a estimulação da investigação científica nas áreas da prevenção, sismologia, engenharia sísmica e caracterização geotectónica do território nacional. Este documento sublinha ainda a necessidade de elaborar, em articulação com as autarquias locais, um plano nacional de redução da vulnerabilidade sísmica, particularmente do património edificado em núcleos urbanos antigos, através da identificação e hierarquização das situações de risco. Neste quadro, é essencial o desenvolvimento de metodologias que permitam a avaliação socioeconómica das consequências dos sismos.

A maioria do edificado em alvenaria existente nos centros urbanos dos países do Sul da Europa, como é o caso de Portugal, apresenta inadequada resistência à ação sísmica. Muitos destes edifícios necessitam de intervenções de reforço de modo a reduzir a sua vulnerabilidade, particularmente quando se tratam de zonas com requisitos de conceção sismo-resistente segundo os recentes códigos europeus. O desenvolvimento de metodologias de avaliação da vulnerabilidade, bem como de ferramentas de gestão do risco sísmico, constitui o cerne do projeto URBSIS “Avaliação da Vulnerabilidade e Gestão de Risco Sísmico à Escala Urbana”, através do qual se procura evitar a perda de edifícios e conjuntos urbanos antigos de valor patrimonial incalculável, de vidas humanas e simultaneamente minimizar as consequências económicas.

Nas últimas décadas a avaliação da vulnerabilidade e do risco sísmico, tal como de outros fenómenos naturais, tem vindo a ganhar espaço e a justificar a preocupação crescente da comunidade científica, sendo considerada actualmente essencial na definição do planeamento estratégico de emergência e na gestão urbana. A avaliação da vulnerabilidade sísmica das construções existentes, na perspectiva da mitigação do risco sísmico, não deverá ser considerada apenas em relação aos edifícios de assumida qualidade arquitectónica e valor patrimonial, mas também, em relação aos agregados de edifícios e às suas fachadas em centros históricos urbanos.

A experiência acumulada em trabalhos de investigação anteriores, é o ponto de partida para este projecto de investigação. A investigação já desenvolvida revelou que a criação de ferramentas com base em SIG no apoio à avaliação da vulnerabilidade no âmbito de um processo de reabilitação urbana planeado, optimiza a aplicação dos recursos financeiros e reduz o tempo despendido na avaliação de um elevado número de edifícios, assegurando a qualidade de uma inspecção detalhada, podendo ser uma ferramenta-piloto a seguir em futuros casos de estudo.

Os centros históricos de Aveiro (521 edifícios) e Faro (809 edifícios) são os casos de estudo ao nível continental, e o centro histórico da cidade da Horta (443 edifícios), na ilha do Faial no arquipélago dos Açores é o terceiro caso de estudo. A disponibilidade de informação para os dois casos de estudo continentais é motivador, e finalmente a cidade da Horta foi escolhido devido à sua localização em termos de perigosidade sísmica e também porque existe informação disponível, decorrente da investigação de parte da equipa. Os casos de estudo dos centros históricos de Aveiro e da Horta permitirão aplicar as metodologias a criar e melhorar significativamente a metodologia criada através do processo de validação e calibração também prevista nas tarefas.

São esperados impactos importantes deste projeto: o desenvolvimento de uma ferramenta SIG associada a uma base de dados sobre o edificado integrando a avaliação da vulnerabilidade, gestão do edificado e no apoio às estratégias de mitigação e gestão do risco; criação de cenários de dano validados; estabelecimento e a validação de um procedimento modular na criação de bases de dados de apoio ao estudo da vulnerabilidade, estimativa de danos e avaliação de perdas e custos para centros históricos inseridos em zonas urbanas.

O carácter inovador desta proposta reside na abordagem da avaliação da vulnerabilidade ao nível do agregado (grupos de edifícios). Das missões de reconhecimento em que os elementos da equipa estiveram envolvidos, é evidente que o dano físico infligido sobre o edificado e a é condicionado pela resposta global do agregado de edifícios. Daí, o desenvolvimento de um novo procedimento de avaliação da vulnerabilidade é um passo necessário na obtenção de uma avaliação mais rigorosa do edificado ao nível urbano. 

Este projeto é fortemente apoiado pela Universidade de Aveiro e pelas Câmaras Municipais envolvidas especialmente na logística de inspeção do edificado, contando com uma equipa de investigadores experientes nas áreas a sismologia e engenharia sísmica. Está ainda garantida a intervenção de consultores experientes nestes domínios científicos.

See a presentation excerpt below (please click to enlarge)

URBSIS1

URBSIS-B

URBSIS-C

URBSIS-D

URBSIS-E

Entre em contacto connosco através do endereço de email: contact@association-rcc.org

  • Contact

    • INTERNATIONAL ASSOCIATION OF RISK AND CRISIS COMMUNICATION
    • Rue Leschot 2

      GenèveCH-1205
      Switzerland
    • 0041 (0)22-708 10 62
  • Follow Us

    twitter
  • Last tweets

  • Thank you to our partners !

    Hill Knowlton Strategies

    Save the Life Exhibition & Conference

    Sight + Sound formation

    Critical infrastructure protection and resilience europe

  • Word cloud